Como apreciar vinho: dicas de especialistas para degustações em casa

A Monte-Carlo Société des Bains de Mer (Monte-Carlo SBM) é uma associação proprietária de diversos estabelecimentos de luxo no Principado de Mônaco, como o Hôtel de Paris e o Cassino de Monte-Carlo, além de uma das maiores adegas de hotel no mundo, com uma história centenária. Três especialistas em vinhos da associação compartilharam seus segredos para as pessoas que querem mergulhar de cabeça na degustação da bebida, incluindo como escolher uma garrafa, servir o vinho ou manter uma boa adega. Confira as dicas abaixo:

A ARTE DA DEGUSTAÇÃO EM CASA

por Patrice Frank, Head Sommelier no Hôtel de Paris Monte-Carlo

© MONTE-CARLO Société des Bains de Mer

Quais etapas você deve seguir ao provar uma nova garrafa?

Primeiro você precisa levar o vinho à temperatura certa: 10 a 12 graus para vinhos brancos, e 17 a 19 graus para tintos. Você também pode abrir a garrafa cerca de 30 minutos antes de servir: isso dará tempo para arejar, o que é bom para a maioria dos vinhos. Se for um branco grande ou um tinto, usar um decantador é uma boa opção. Mas tome cuidado, vinhos mais antigos não lidam muito bem com o reenvase, então, se usar um decantador, deverá beber a garrafa toda! Depois que o vinho estiver arejado e na temperatura certa, é hora de prová-lo.

Como escolher a taça de vinho certa?

Idealmente, a taça não deve ser muito grande – vinte centilitros são suficientes. Uma taça grande pode combinar com um vinho jovem, que pode aguentar muita aeração, mas pode desgastar um vinho mais antigo.

Como é a adega ideal?

É uma escolha altamente pessoal. Você pode se ater à seguinte repartição: 20% champagnes, 30% brancos e 50% tintos. O resto é com você! Também depende de qual é seu objetivo. Se a ideia é manter as garrafas por mais de 20 anos, convém escolher os grand crus. Caso contrário, a maioria dos vinhos no mercado pode durar até dez anos, então tudo é uma questão de gosto. Todo mundo tem seus próprios padrões – você só precisa experimentar e comparar.

COMO ARMAZENAR VINHO COM OU SEM ADEGA

por Gennaro Iorio, Head Cellarman

© MONTE-CARLO Société des Bains de Mer

Como você sabe se um vinho deve ser envelhecido ou aberto imediatamente?

Cada denominação produz um certo tipo de vinho com um tempo médio de envelhecimento. Por exemplo, um vinho rosé deve ser aberto muito mais cedo que um vinho branco, e um Pinot Noir da Borgonha muito antes que um Nuits-Saint-Georges. A segunda coisa a considerar é a safra vintage.

Existem guias profissionais que fornecem informações sobre como os vinhos se desenvolvem e quando é melhor desarrolhá-los. Dito isto, existem pequenas diferenças de um produtor para outro, dependendo do terroir, do processo de vinificação e assim por diante. Seu especialista em vinhos favorito pode ajudá-lo.

Como você organiza garrafas em uma adega?

Compre alguns racks de armazenamento – você encontrará de praticamente qualquer material. Para escolher o certo, deve considerar apenas uma coisa: você compra 12 a 24 garrafas por vez ou as compra individualmente? No primeiro caso, é melhor usar armários para vinho, que podem ser reorganizados conforme necessário; no segundo, é melhor usar um sistema de prateleiras no padrão de favo de mel, que permitirá personalizar sua adega. Se você usa um rack de madeira, há madeira resistentes que você pode encontrar por aí.

O que faz uma boa adega, em termos de temperatura e umidade?

Você deve esperar de 13°C a 15°C e pelo menos 70% de umidade. Se você tem uma adega subterrânea, naturalmente fresca e úmida, é perfeita. Caso contrário, existem aparelhos de ar condicionado feitos especialmente para adegas, o que permitirá obter uma atmosfera ideal e autorregulável. Você também deve garantir que não haja muita vibração.

Como você armazena suas garrafas se não tiver um porão?

O vinho se tornou um produto cultural de boa-fé. Os consumidores sentem-se compelidos a armazenar e envelhecer suas garrafas nas melhores condições possíveis e a servi-las na temperatura ideal. Nesse caso, a melhor opção é investir em um armário de vinhos. Você pode encontrar alguns armários de boa qualidade que regulam a temperatura e a umidade, atenuam as vibrações, filtram odores e protegem o vinho da luz.

AGRICULTURA BIODINÂMICA, NOVAS VARIEDADES: COMO ENTENDER TUDO ISSO

por Bruno Scavo, Head Sommelier

© MONTE-CARLO Société des Bains de Mer

Novos métodos de produção (agricultura biodinâmica, vinhos naturais) produzem ótimos vinhos?

Na minha opinião, esses novos processos podem produzir resultados muito interessantes. A agricultura biodinâmica às vezes é criticada por ser um pouco esotérica, pois envolve, entre outras coisas, ajustar o cronograma de crescimento ao ciclo lunar. Mas essas críticas estão desatualizadas agora: muitos desses agricultores fazem um trabalho sério e estão conseguindo produzir alguns vinhos muito bons – como o Clos Saint-Vincent, para escolher um exemplo perto de Mônaco.

Existem novas variedades que despertaram seu interesse?

Digamos que certas tendências parecem totalmente justificadas para mim. Atualmente, ouve-se muita conversa sobre Nerello Mascalese, uma variedade italiana encontrada na região de Etna, na Sicília. É um terroir arenoso e vulcânico que produz um vinho altamente complexo. Também gosto do Assyrtiko de Santorini, onde as videiras são preparadas em cestas para proteger as plantas do vento e da poeira. Esta técnica produz um vinho altamente ácido, com um toque mineral agradável. E depois há o Plavac Mali da Croácia, o Feteasca da Romênia… todas essas novas técnicas de produção de vinho estão fazendo algumas coisas interessantes em muitas regiões da Europa.

A Monte-Carlo SBM convida a todos a tirarem fotos de suas degustações de vinhos e compartilhá-las nas mídias sociais. Também sugere fazer um happy hour virtual para um brinde com os amigos.

Para mais informações, acesse www.montecarlosbm.com.

Para saber mais sobre o destino, acesse www.visitmonaco.com.

Lista de categorias

Pular para a barra de ferramentas